Vitiligo é uma doença autoimune que afeta milhões de pessoas no mundo, com uma estimativa de 0,5% a 2% da população com essa condição. Mesmo com alguns tabus a ainda serem quebrados, hoje sabe-se muito mais sobre a doença e já existe tratamento de vitiligo. Descubra, neste artigo, o que o vitiligo pode causar e dicas de como se cuidar ao receber o diagnóstico da doença. 

Por que tenho vitiligo?

Ainda não se sabe o que causa a doença e não há como prevenir o vitiligo, mas a causa das manchas brancas pelo corpo é a inibição ou destruição dos melanócitos – que são as células que fabricam a melanina (pigmento que dá cor à pele) – pelo próprio sistema imunológico do paciente. 

O que se sabe, também, é que a doença não escolhe raça, idade ou sexo e pode estar ligada à hereditariedade já que cerca de 30% dos pacientes com a doença têm familiares com a mesma condição. 

Outros fatores de risco também incluem exposição a toxinas em excesso, lesões graves, como traumatismo craniano, e até mesmo o estresse. 

Condições emocionais entre as causas da doença

Mesmo que não seja transmissível, os tabus e estigmas sobre a doença ainda têm grande impacto em pessoas com vitiligo. Mas é extremamente importante que, ao ser diagnosticado com a doença, você dê atenção, também, aos cuidados com fatores emocionais. Isso porque o vitiligo pode causar o agravo de aparecimento das manchas brancas pelo corpo diante do estresse e outras condições mentais e de autoestima.

Nesse caso, o acompanhamento psicológico e uma rede de apoio são muito bem-vindos para que você possa mitigar os riscos de avanço da doença.  

Existe tratamento de vitiligo? 

Como falamos anteriormente, hoje já existe tratamento para vitiligo, mesmo que a doença tenha um fator benigno e que seus únicos efeitos sejam estéticos, além de existir a possibilidade de regressão espontânea.  

Além dos tratamentos com imunomoduladores e corticosteróides, existem tratamentos que usam a luz para estimular a pigmentação das áreas afetadas pelo vitiligo. 

O Exciplex, por exemplo, é um equipamento médico que emite uma luz monocromática excimer (MEL) a 308nm e tem alta eficiência no tratamento de vitiligo e outras doenças de pele autoimunes, como alopécia areata, psoríase, micose fungóide e dermatite atópica, sem efeitos colaterais. Isso porque atua diretamente nas manchas sem expor a pele saudável. O tratamento, nesse caso, é rápido e indolor, deixando apenas uma leve vermelhidão na área tratada que desaparece em pouco tempo. 

Procure seu médico para esclarecer todas as suas dúvidas e saber mais sobre o tratamento com o Exciplex. 

Agora que você já sabe tudo o que o vitiligo pode causar e sobre o tratamento de vitiligo, que tal compartilhar esse artigo com sua família e amigos?

Quanto mais pessoas souberem sobre a doença, menores podem ser os estigmas sobre esse assunto. 

Compartilhe
Veja os posts

RELACIONADOS


Faça uma
Cotação