Em plena era da informação e da tecnologia, investir em marketing é uma necessidade para os dermatologistas. É parte fundamental e estratégica para atrair a atenção do público, ganhar visibilidade, estar em contato com o paciente e fortalecer a imagem. Por isso, manter os investimentos nessa área, mesmo em tempos difíceis, é uma forma de continuar forte e sempre presente na mente do público.

Mas quando se trata da área médica, é importante respeitar normas éticas da profissão. Para isso, o  Conselho Federal de Medicina (CFM) possui diretrizes bem estruturadas sobre a forma como deve ser trabalhado o marketing médico com ética, cuidado e qualidade profissional. O objetivo é impedir o sensacionalismo, a autopromoção, a mercantilização do ato médico, bem como abusos em publicidade que podem levar a processos ético-disciplinares.

Para ter uma ideia, o Conselho Federal de Medicina proíbe, por exemplo, o uso de expressões como “resultado garantido”, “o melhor” e “o mais eficiente”; e divulgação de preços de procedimentos e imagens de antes e depois. Portanto, não pode se denominar o melhor ou o único, em frases como “você só encontra o tratamento aqui” ou “somos o melhor nessa área”; e usar imagens sensacionalistas que possam iludir o público ou insinuar a promessa de resultados.

As regras para publicidade que todo o profissional médico, inclusive dermatologistas, deve seguir, estão no Manual de Publicidade Médica, de acordo com a Resolução CFM 1.974/11. É um guia gratuito oferecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) que define o que deve e o que não deve ser feito pelos médicos em relação à propaganda e marketing,  orientando como conduzir de forma correta e moral.

Selecionamos algumas orientações para as boas práticas do marketing médico:

– É vedado ao médico: permitir que seu nome circule em qualquer mídia, inclusive na internet, em matérias desprovidas de rigor científico; expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento, ainda que com autorização expressa do mesmo; anunciar a utilização de técnicas exclusivas; garantir, prometer ou insinuar bons resultados do tratamento; usar expressões tais como “o melhor”, “o mais eficiente”, “o único capacitado”, “resultado garantido” ou outras com o mesmo sentido; sugerir que o serviço médico ou o médico citado é o único capaz de proporcionar o tratamento para o problema de saúde; assegurar ao paciente ou a seus familiares a garantia de resultados.

Seguindo todas as normas do Conselho Federal de Medicina sobre a publicidade médica, é possível aplicar o marketing de maneira ética e eficiente, trazendo diversos benefícios para o seu trabalho e sem enfrentar problemas com o CRM.

Compartilhe
Veja os posts

RELACIONADOS


Faça uma
Cotação